Resenha de "Um martíni com o diabo"

Um martíni com o diabo, novo livro de Cláudia Lemes, é tão intenso quanto Eu Vejo Kateveio para agradar aos fãs de uma boa trama e do estilo noir.
"Lembrou-se do porquê, tão frequentemente esquecido nos últimos anos, de ter se metido naquela família, naquele negócio inescrupuloso, com aquelas pessoas. Você se traiu no caminho, garoto, isso é fato. Esqueceu seu objetivo, sua vingança, seu ódio. Agora não adianta querer fugir das consequências."
Chicago, 1983
Aos 18 anos, Charlie Walsh ouve uma revelação macabra sobre o passado da mãe e enfim descobre a identidade do pai. Chocado com a violência do relato e movido pela vingança, ele se muda para Las Vegas, apesar da resistência da mãe, e promete que Tony Conicci irá pagar pelo o que fez.

O problema é que seu pai é simplesmente um dos chefes da máfia italiana, ou seja, infiltrar-se no restrito grupo da família Conicci não será fácil. Contudo, após planejar uma situação na qual sairia como herói, ele é apresentado a Tony e seus fiéis parceiros e, a partir daí, torna-se um amigo deles (alguém conectado à máfia, mas que ainda não faz parte dela).

Ao longo dos anos, aprendendo as regras e os negócios da família, Charlie se torna um membro da máfia e se envolve mais do que deveria nesse mundo. Ele é atraído pelo crime, pela droga (mesmo sabendo que é contra as regras), pelo dinheiro e o poder; e se esquece do real motivo para ir a Las Vegas.

Enquanto lida com o FBI, se apaixona por uma acompanhante e depois pela esposa de seu pai, volta da prisão e tenta se livrar dos vícios, Charlie precisa voltar a si para cumprir sua promessa e matar o pai, mas, depois de tantos anos, parece que sua lealdade e seus princípios foram abalados.
"Disse a si mesmo que tudo o que estava acontecendo era parte de seu plano. Disse a si mesmo, mais uma vez, que ele estava no controle. Sentia-se feliz e não sabia por quê."
Cláudia Lemes tem o dom de nos envolver em histórias impactantes e, neste livro, ela mantém seu estilo cru, minucioso e intenso; em outras palavras, tem muita violência e sexo, com detalhes. A história é narrada em terceira pessoa e se passa no decorrer de 14 anos, mas, apesar de ter gostado de como a narrativa foi conduzida, pois propiciou um melhor desenvolvimento dos personagens, ela ficou um pouco arrastada em alguns momentos, o que me fez demorar para terminar a leitura.

Charlie é um personagem controverso, ora era alguém por quem valia a pena torcer, ora (na maioria das vezes) era um fraco que se deixou corromper. Por isso, não consegui sentir simpatia por ele - aliás, os únicos personagens que me agradaram foram Viking e Loreen. Porém, ainda assim, todos eles foram bem construídos e deixaram a história mais crível, especialmente porque a autora criou uma trama tão arramada, palpável, inquietante e com cara de O Poderoso Chefão que foi impossível não achá-la boa.

O final me surpreendeu e gostei bastante do desfecho de cada personagem, mesmo que alguns deles tenham me deixado irritada. Como mencionei antes, o mundo exposto pela autora é rico em detalhes e fica bem claro o quanto ela pesquisou para desenvolvê-lo (tem até dois capítulos sobre a linguagem e a história do livro, que fazia parte da Trilogia Woodsons e foi adaptada).

Mesmo sendo fã de romances policiais, como já escrevi em outras resenhas, costumo evitar livros com temas muito pesados, mas, assim como Eu Vejo Kate, este livro foi uma boa experiência por ter sido bem escrito e sobre um tema que conhecia pouco. Além disso, a editora fez um bom trabalho com a capa e a revisão.
*Exemplar para resenha.

19 comentários:

  1. Oi, Rafaela!!
    Gostei de conhecer mais um pouco desse livro da Cláudia Lemes!! Conheci ele recentemente mais fiquei com muita vontade de ler esse livro!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  2. Rafa!
    Olha, não gosto muito de livros que tem o tema vingança, embora aqui até entenda a vontade do protagonista em se vingar.
    Ainda assim, fiquei curiosa pelo enredo, porque ele parte a procura do pai com a gana de vingança e acaba sendo corrompido pela máfia e pela vida boa e gostaria de sber o que houve no final...
    Bom carnaval e moderação, hein?
    “Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é o bastante querer, é preciso saber querer.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Rafaela! Tudo bem?

    Eu acho que li pouca coisa no estilo, mas parece ser uma narrativa super forte e intrigante! E que bom que o final surpreendeu! Gostei da dica!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. VINGANÇA PARA MIM É ALGO QUE SEMPRE PERDEMOS AO LONGO DO CAMINHO,AINDA MAIS SE ENVOLVE CRIMINOSOS E FAMILIA.NÃO É MUITO O MEU ESTILO MAS GOSTO DE AÇÃO E AINDA MAIS QUANDO O VILÃO AOS POUCOS VAI SE PERDENDO NO CAMINHO QUE PLANEJOU.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro e nema a autora, embora já tenha ouvido falar do outro livro dela. Vingança é um prato cheio para se escrever uma boa trama, desde que quem a escreve tenham uma imaginação bem fertil. parece ser o caso dessa autora. quando vi a capa do livro, achei tratar-se de alguma obra que já tinha sido filmada, mas vi que estava totalmente enganada. Gostei do que li na resenha, e pretendo ler o livro.

    ResponderExcluir
  6. Gosto de romances policiais, e pela resenha eu pude perceber que o livro tem uma trama bem escrita, e com personagens bem construídos!! Fiquei curiosa para saber se Charlie conseguirá se redimir deste mundo pelo qual ele se deixou envolver!!

    ResponderExcluir
  7. Assim como você, eu também gostei muito deste livro. Não li Eu Vejo Kate, mas quero demais.

    Adorei a resenha!!!

    Bjkss

    ResponderExcluir
  8. Oie Rafa =)

    Não conhecia o livro e nem a autora, mas confesso que não tenho muito o habito de ler livros com essa temática.

    Pela sua resenha percebi que para os fãs do gênero realmente é uma leitura interessante.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  9. Oi Rafa! Tenho vontade de ler os livros desta autora, gosto do gênero e seus comentários me deixaram bem animada. Boa semana.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Nada como uma boa vingança para motivar o homem. Amores, traições, máfia, combinação maravilhosa. Deve ser impossível parar de ler. Fiquei muito curiosa.

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nenhum livro que envolve a máfia e muito menos vi o filme "O Poderoso Chefão", mas vi alguma coisa que fazia algumas referências nesse sentido. A trama em si parece interessante, com vingança e gangster, mas eu acho que ia gostar mais se o personagem principal não tivesse perdido um pouco o foco (sede de vingança gera histórias eletrizantes, via de regra).
    Enfim, não é minha leitura preferida, mas gostaria de arriscar.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Rafaela! Tudo bem? Eu vi que o primeiro livro da Claudia foi um baita sucesso e confesso que comecei a ficar de olho nela desde então. Adorei a premissa desse novo livro e ahhhh tem um Tony no livro! <3

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Rafa!
    Não conhecia o livro e de cara já achei a capa linda.
    Gostei ed varias coisas que você comentou: para começar, adoro história de máfia, precio muito um "estilo cru, minucioso e intenso", e adoro personagens controversos pelos quais sentimos uma coisa em um momento e outra em outro. Parece ser ótimo!
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, Rafa!
    Eu não sei se leria este livro. Embora não conhecesse a obra e nem a autora, creio que não me envolveria com a leitura e nem teria paciência com o protagonista.
    E pior: o fato da leitura ser exaustiva em alguns momentos me incomoda e me deixa bastante receoso.
    Talvez não seja para mim este título.
    Mas adorei saber sua opinião. ;)
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Li a algumas resenhas e amei!!
    O livro tem uma história bem elaborada e com um gostinho de quero mais, com um protagonista certo de que fará a coisa certa.

    ResponderExcluir
  16. Oi Rafaela,
    Charlie, no início do livro, por ter um objetivo em mente, imagino que seja mais obstinado e concentrado em sua vingança. O fato dele se infiltrar para alcançar seu objetivo fará com que ele se envolva demais (de uma forma pesoal) e isto será suficiente para que seu plano perca o foco. A autora apresenta uma premissa que tem tudo para ser um grande sucesso, eu gosto de livros que tenham máfia, pois envolve mais ação. Já ouvi falar muito bem de Eu vejo Kate, mas não tive a oportunidade de ler nenhum desses dois livros. Se em algum momento eu resolver ler esta nova obra espero poder me surpreender e gostar da escrita da autora.

    ResponderExcluir
  17. Nunca ouvi falar deste escritor, e nem do livro. Não curti muito o livro porque não faz o estilo de leitura que gosto, alem de não curtir vingança e coisa e tal, mas tudo bem para quem gosta. Mesmo assim a resenha está muito boa.

    ResponderExcluir
  18. Oi.
    é a primeira vez que vejo falar do livro e do escritor.
    E já estou louca para conferir.
    Ador livros com essa temática e personagens controversas, simplesmente p livro já me conquistou.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  19. Gosto bastante de romances policiais, e esse parece ser muito bem escrito e bem polêmico. Cheio de violência e reviravoltas.
    Vou anotar aqui, e procura-lo em breve!
    bjs

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária