Resenha de "A arte de ser normal"

A arte de ser normal foi um dos melhores livros de 2015. Com personagens doces e temas bem atuais, o romance de estreia de Lisa Williamson traz uma história real, reflexiva e comovente.

Aos oito anos, David Piper tinha certeza do que gostaria de ser quando crescesse: uma menina. Enquanto os pais pensavam que ele era homossexual, na escola, os colegas de classe o chamavam de "Show de Aberrações". Somente seus amigos, Essie e Felix, conheciam a verdade.

Quando Leo Denton entrou na Escola Parque Eden, ele esperava ser invisível e passar de ano com ótimas notas. Porém, alguém começou um boato de que ele era um bad boy em Cloverdale e, por isso, foi expulso de lá. Apesar de continuar tentando passar despercebido, depois que Alicia Baker, uma das garotas mais bonitas do ensino médio, se interessou por ele, a tarefa se tornou impossível.
"Porque garotos "normais" não têm seis arquivos de anotações sobre eles. Garotos "normais" não frequentam psicólogos. Garotos "normais" não têm mães como a minha, que dizem que a vida não é justa com uma alegria falsa, como se a injustiça da vida fosse praticamente a única coisa da qual elas tivessem certeza. Passei a vida toda ouvindo que sou exatamente o contrário de "normal"." (Leo)
Separados por um ano, o caminho de David e Leo poderia nunca se cruzar, especialmente depois que Piper tentou trazê-lo para seu grupo de amigos e Denton refutou suas tentativas de aproximação. Todavia, quando Leo defende David dos valentões do colégio, ambos são obrigados a frequentar a detenção e, a partir daí, eles iniciam uma amizade.

O convívio, por vezes difícil, entre eles foi se intensificando a cada frustração e segredo revelado. David encontrou mais um amigo que o entende e aceita, e Leo, uma pessoa que não desistisse dele. Porém, com tantas reviravoltas e revelações, será que eles vão conseguir a coragem e a força necessárias para resolver os problemas iminentes?
"Engulo em seco. Porque lá está ela: minha oportunidade de falar. Cinco palavrinhas: Eu. Quero. Ser. Uma. Menina. Mas elas não saem. Ficam presas com teimosia na minha garganta, me sufocando e me silenciando. Porque a coisa que a minha mãe está tentando me fazer contar não é aquilo para o qual ela está se preparando. Porque minha mãe está esperando que eu conte que sou gay. [...] Mas ela e meu pai entenderam os sinais de forma totalmente errada, do mesmo jeito que o Leo entendeu errado no refeitório no outro dia. Porque eu não sou gay. Sou apenas uma garota hétero presa no corpo de um garoto. Mas como é que posso contar isso para eles?" (David)
Preconceito me deixa enojada e saber que muitas das situações lidas em livros ou vistas em filmes acontecem diariamente torna tudo ainda pior. A arte de ser normal fala sobre crianças transgêneros e o fato de este assunto ser tão pouco discutido. Nota-se que, por ter trabalhado em um setor especial para adolescentes com dificuldades de identificação de gênero, a autora teve muita sensibilidade e pé no chão para escrever sobre o tema; ela descreveu cada personagem, sentimento, devaneio, medo e reação de forma brilhante, trazendo à tona situações corriqueiras (infelizmente) para àqueles que sofrem física e verbalmente por serem "diferentes".

Narrada por David e Leo, a história expõe a vida de dois adolescentes com problemas, personalidades e objetivos diferentes, mas que, ao mesmo tempo, têm tanto em comum. Adorável é a palavra que define David, a autora criou um personagem tão crível, doce, divertido e forte - apesar das circunstâncias - que o leitor se afeiçoa logo nas primeiras páginas. Enquanto Leo é retraído, antissocial, desconfiado e levemente irritável; ele sente falta da presença do pai, não gosta das atitudes da mãe e, depois de um trauma bem grande, se fechou para o mundo. Porém, após conquistar sua confiança, percebe-se que ele é um ótimo amigo e só precisava de um "empurrão" para voltar à vida.

Além do bullying e das questões de gênero, há alguns problemas familiares e a importância da amizade. Se por um lado, David se olhava no espelho e não conseguia reconhecer seu reflexo, pois via-se preso em um corpo masculino e sofria por saber que nunca passaria pelas mesmas situações que sua irmã. Por outro lado, ele(a) não podia contar aos pais o que sentia ou queria por medo de não ser aceito. 

Ao passo que Leo guarda seu trauma a sete chaves e tem um convívio bem complicado com sua família. Tudo o que ele desejava era entrar em uma boa universidade, começar uma nova vida, reencontrar seu pai e não fazer outras amizades; neste percurso, duas atitudes dele me incomodaram bastante, mas foram compreensíveis em certa medida. Com David (Essie e Felix também), Leo aprendeu que amizades verdadeiras valem a pena e, ao conhecer Alicia, sua vida ganhou um sentido a mais.

Lisa Williamson trouxe à tona diversos sentimentos e cenários, com uma boa dose de realidade - a reação dos pais, por exemplo, foi plausível e bonita. A leitura não é apenas fluida, como também faz com que o leitor se emocione (David me fez chorar várias vezes) e se sinta revoltado com certas atitudes, tanto em relação ao preconceito, quanto pela falta de empatia. Outro ponto positivo foram os demais personagens, que tornaram a história mais tocante.

A capa é bonita, especialmente pela simplicidade; além disso, não encontrei erros de revisão e gostei da ideia de ter fontes diferentes para cada narrador. Ficaram curiosos para ler A arte de ser normal? Participem do sorteio e concorram a um exemplar do livro (link).
  • Escrito por Lisa Williamson.
  • Editora Rocco Jovens Leitores.
  • Tradução: Cláudia Mello Belhassof.
  • 382 páginas.
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo! :)
*Exemplar para resenha.

26 comentários:

  1. Oi Rafaela

    faz tempo que não leio nada do gênero, mas pela sua resenha parece ser um livro bem interessante, com personagens bem desenvolvidos, vou deixar na minha lista de leituras rs

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Rafa!
    como você não admito existir preconceito em pleno século XXI e que bom que a autora teve a coragem de escrever um livro sobre transgêneros.
    Gostaria muito de apreciar a leitura.
    “Quando todo mundo quer saber é porque ninguém tem nada com isso.” (Millôr Fernandes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de março com 4 livros 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Eu não tinha ideia de que este livro era tudo isso.
    Achei que fosse uma coisa mais ... auto-ajuda, rsrs
    Caramba!!!
    Tô chocada!
    Sério.
    Agora quero o livro!!!

    Adorei a resenha ♥

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  4. Oie,
    já vi este livro por ai,mas confesso que ele ainda não me chamou muita atenção.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Rafaela! Tudo bem? Nossa, o livro parece ser ótimo mesmo! Gosto de livros que tenham como protagonistas personagens que fujam do padrão. E "A Arte de Ser Normal" parece ser simplesmente incrível e fascinante. Adorei a resenha! <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Achei interessante o livro, nunca li nada desse gênero, mas confesso que sua resenha me deixou com muita vontade de ler esse , espero faze-lo em breve!

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Fiquei bem curioso com o livro, a temática é interessante, acho que nunca li nada igual! A resenha ficou ótima, já quero essa beleza. Abraços :)

    ResponderExcluir
  8. Oi, Rafa!
    Nunca li nada desse gênero mas fiquei muito interessada, ainda mais por abordar esse assunto tão discutido na minha escola, que é o preconceito e a diversidade de gênero. Bjxx

    ResponderExcluir
  9. Oie Rafa =)

    Não conhecia esse livro, mas pela sua resenha achei a premissa bem interessante.
    Gosto de livros que abortam temas como preconceito e diversidade de gênero. São livros que sempre trazem mensagens importantes e nos fazem rever a forma como pensamos.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    Sua resenha está maravilhosa! Eu já estava com vontade de ler esse livro, agora a vontade aumentou e não vejo a Hora de tê lo em minhas mãos <3

    Beijos!

    http://apenasumaleitura.blogspot.com/
    ---
    Ah, está rolando resenha premiada lá no blog, do livro “O Andarilho Dewok”. Não deixa de participar! 
    Resenha: http://migre.me/t5KoE

    ResponderExcluir
  11. Ah algum tempo já algum tempo conheço esse livro, no entanto não conhecia a história que se passava nele, após ler sua resenha não pude deixar de me interessar por essa leitura. Até porque aborda um tema que deve ser discutido, e mais falado na atualidade, e a trama retrata algo real que existe em nosso cotidiano, com certeza vou incluir o livro na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  12. Fiquei muito curiosa pra ler esse livro, ainda não conhecia esse autora e nem esse livro. Adorei a resenha, principalmente como você descreveu a escrita da autora, pois tratar um tema pouco descutido e muito sério, é de extrema importância e não deve ser nada fácil! Já entrou pra lista!! beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi Rafa!
    Quando esse livro foi lançado, não dei muito por ele. Mas desde lá li resenhas que (como a sua) me fizerem mudar de opinião. A temática, sem dúvida, é muito válida e deve ser tratada com delicadeza para não cair no clichê nem soar como lição de moral, algo meio "precisamos falar sobre isso", sabe? Esse era o meu receio quando li a sinopse pela primeira vez, mas pelo jeito eu estava errada. Se tiver chance, vou ler.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, Rafa!
    Eu quero MUITO ler esse livro agora! Não o conhecia, mas achei a premissa dele sensacional. Livros como este passam ensinamentos e reflexões importantíssimos! Acredito que só a forma como a autora resolveu criar a trama já merece todo o mérito possível.
    Adorei sua resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. A temática desse livro é pra lá de interessante. Não tenho convívio com crianças pequenas, e sempre me perguntei como a cabeça delas deve estar agora onde o assunto de sexualidade é muito mais abordado. Será que falam sobre isso na escola, em casa? Porque na internet sem dúvidas eles lêem muito sobre isso, e deve surgir milhões de dúvidas na cabeça deles. Imagino que o livro seja super informativo, fiquei curiosa em ler!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Uma razão para respirar", vem conferir!

    ResponderExcluir
  16. Oi Rafa, gostei da sua resenha, porém são poucos livros neste estilo que me chamam atenção..
    Não leria este no momento.

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  17. Vi muitos elogios sobre a escrita da autora, esse é um livro que tem um tema muito forte, importante e interessante, tenho muita vontade de ler. Gostei muito da sua resenha, ficou ótima, e me deixou ainda mais curiosa pela leitura.

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  18. Onde eu estava que não tinha visto este livro ainda? É realmente de assustar que ainda hoje encontramos preconceitos. Vou anotar o título para ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  19. Oi Rafa! Não sei porque vi esta capa e pensei em livro de auto-ajuda. Que bom ter lido sua resenha, não só soube do que o livro trata, como também achei a ideia muito interessante. Eu nunca li nada com esta abordagem sobre crianças e adolescentes e adoraria conferir.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  20. Oi Rafaela.
    Confesso que amei a sua resenha, faz um tempo que quero ler um livro com o tema parecido, por que eu ja sofri bullying, e sei quão ruim é, nem consigo imaginar o sofrimento desse personagem, a falta de apoio dos pais e tudo mais, porem é para isso que serve as boas amizades, gostei muito da capa, e da simplicidade que ela transmite ao leitor, tenho certeza que irei me emocionar com essa estoria, vou com certeza participar do sorteio, vai que eu tenha sorte.
    bjs.

    ResponderExcluir
  21. Oi Rafa,
    Esse ainda é um tema bem polêmico, então não li tantas coisas e livros sobre ele. Achei bacana a autora explorar os sentimentos de forma real, acho necessário para assimilar o texto. Enfim, pretendo ler esse livro para conhecer um pouco mais sobre o assunto. E o exemplar do sorteio já é meu haha.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  22. Este livro aparenta ser muito interessante, pois ele abrange uma temática muito polêmica que ainda sofre discriminação em nossa sociedade!

    ResponderExcluir
  23. Essa é a primeira vez que leio algo sobre esse livro e me interessei muito por ele. Pela sua resenha, dá para perceber que ele é muito interessante e que vale a pena ser lido.

    ResponderExcluir
  24. Nunca tinha lido sobre o livro, mas amei sua resenha, parece ser um livro bem dramático e reflexivo, que mostras muitos problemas relacionados ao bullying, falta de auto-aceitação, etc.
    Gosto muito desse tipo de livro, e já anotei aqui, claro que vou querer lê-lo!!!!
    bjãooo

    ResponderExcluir
  25. Eu nunca tinha lido sobre o livro, mas gostei bastante da sua resenha, pois parece ser um livro be dramático, reflexivo, com problemas relacionados ao bullying, falta de auto-aceitação, etc.
    Bem do jeito que eu gosto1!!
    Claro que vou querer lê-lo!! Já está anotado aqui!!
    bjooos

    ResponderExcluir
  26. Oie, Boa Tarde
    Eu já tinha ouvido falar do livro e já li outras resenhas sobre ele, no começo não tinha me chamado muita atenção, por causa da capa rs Mas li a sinopse, a resenha e me interessei de imediato, faz tempo que está na minha lista, vou criar vergonha na cara e comprar rs

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária