Resenha de "Ligeiramente Maliciosos", Os Bedwyns #2

Em Ligeiramente Maliciosos, Mary Balogh apostou em uma história mais dinâmica, divertida, sensual e repleta de referências. Apesar de ser uma série e este ser o segundo livro, não é necessário ler na ordem, pois cada história trata de um casal diferente. Cabe ressaltar que, ao ler desde o primeiro, cria-se uma conexão maior e mais íntima com os personagens e a série como um todo.
"A princípio, pensou que ela estava perguntando por mera educação, mas logo ficou claro que Judith realmente se interessara. Então ele começou a contar sobre todas as coisas que o teriam feito bocejar apenas uma semana ou dias antes, enquanto caminhavam."
Judith Law é uma jovem sonhadora e perspicaz de 22 anos, filha do reverendo Jeremiah e dona de uma beleza sem igual, porém reprimida. Em decorrência das extravagâncias de seu irmão, sua família se endividou de tal forma que Judith teve de ser enviada para a casa de tia Effingham e se tornar dama de companhia da avó, além de fazer algumas tarefas domésticas. 

Quando a diligência em que viajava para Harewood Grange quebra e Judith fica presa à beira da estrada com os demais passageiros, ela chega à conclusão de que a sorte definitivamente não está ao seu lado. Todavia, o destino tinha outros planos e lhe ofereceu um caminho alternativo, pois na mesma estrada passava Ralf Bedard, um atraente e charmoso cavaleiro que se oferece para levá-la até a estalagem mais próxima e também pedir alguma ajuda para os outros passageiros.

A recusa seria a resposta óbvia, mas Judith vê o convite como a realização de uma aventura para se lembrar futuramente em seus dias de puro tédio e solidão. Portanto, abraça a oportunidade e se apresenta ao estranho como Claire Campbell, uma atriz independente e determinada que estava à caminho de York para interpretar seu mais novo papel. A atração entre eles é imediata e ambos se entregam à uma paixão tórrida, mas no dia seguinte, Judith o deixa e retorna à realidade, ou seja, para a casa da tia.

A ironia do destino é que Judith não foi a única a mentir sobre a própria identidade; afinal, Ralf Bedard era ninguém menos do que o lorde Rannulf Bedwyn, irmão do poderoso duque de Bewcastle, que estava indo para Grandmaison Park com a finalidade de conhecer a recém escolhida para ser sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith. 

Ao se reencontrarem e descobrirem a farsa, ambos fingem que não se conhecem e seguem seus respectivos papéis, mas como evitar a ligação palpável que um sente pelo outro? Especialmente quando, além da atração física, sentimentos mais profundos surgem e os arrebatam. Eles também terão de mostrar o quão fortes e altruístas podem ser, visto que pessoas mal intencionadas estão à espreita.
"Eles sorriram um para o outro. Não havia necessidade de palavras, nem vontade de se soltarem. Ela era seu maior tesouro, seu amor."
A narrativa em terceira pessoa traz ao leitor, em detalhes, as incertezas, receios, pensamentos, sonhos antigos e esperanças de Rannulf e Judith. Mary Balogh conseguiu extrair certa peculiaridade e beleza de cada clichê presente na história, as tramas se encaixavam com harmonia e também se resolviam sem muitas dificuldades, tudo isso contribuiu para tornar a leitura ainda mais fluída e sedutora.

Com personagens críveis e charmosos, a história adquiriu um ar cômico e acolhedor até mesmo em cenas maçantes e de tensão; a Sra. Law e sua melhor amiga Lady Beamish, avós de Judith e Rannulf respectivamente, foram um show à parte e conquistaram facilmente, especialmente pelas demonstrações diárias de carinho, apoio e força. A família Effingham é detestável, fútil e interesseira, o único que foge à regra é Sir George, o pai. No começo, a família de Judith se mostrou ser demasiadamente passiva, mas tal imagem se desfez no final. Fico contente em informar que os Bedwyns subiram no meu conceito - eu estava certa em dar uma oportunidade à eles, afinal, era só questão de tempo para que todos mostrassem mais empatia.

O casal tem uma química linda, tanto no quesito amor quanto na amizade, e é uma delícia acompanhar a transição do relacionamento deles: como aquilo que era feito de atração física revestida de um encantamento palpável pela pessoa em si, se transformou em algo além e mais profundo, onde parece não ter mais lugar para tanto amor e felicidade. As cenas mais quentes não foram o foco da história, apesar da tensão sexual, mas ainda assim Balogh presenteou os leitores com passagens (bem escritas) de arrancar suspiros - só não gostei de uma atitude de Rannulf durante a primeira noite deles.

Gostei das referências que a autora fez em certas passagens, visto que me lembrou de Orgulho e Preconceito, como, por exemplo, no pedido de casamento e na reação de ambos antes, durante e depois desse evento. Também foi interessante ver Judith encontrando a confiança que lhe faltava, apesar de sempre ter sido determinada; afinal, ela é uma personagem forte, carismática e que consegue seguir em frente mesmo com todas as adversidades. Enquanto Rannulf, após conhecer Judith e ver a situação de sua avó, tornou-se mais responsável e apaixonado.

A delicadeza que a capa emana combina com a simplicidade de Judith e, além disso, a aparência da garota condiz com a da personagem. A revisão foi muito bem feita e, no final do livro, tem o primeiro capítulo de Ligeiramente Escandalosos, que trará Lady Freyja Bedwyn como personagem principal.
  • Escrito por Mary Balogh.
  • Editora Arqueiro.
  • Tradução: Ana Rodrigues.
  • 287 páginas.
  • Leiam também: Ligeiramente Casados (link).
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo! :)
*Exemplar para resenha.

17 comentários:

  1. Oi flor, com certeza o jeito da Mary de escrever inova e cativa, estou louca para conhecer o resto da família

    ResponderExcluir
  2. Já ouvi falar dessa série, li várias resenhas e realmente me interessei bastante, e agora mais pelo fato das referências que você citou.

    ResponderExcluir
  3. Eu acabei de comprar esse livro e o anterior com um vale presente que ganhei de aniversário e gostei de ler a resenha e ver que o livro é bom. Li umas resenhas bem negativas dele e até estava meio deprimida por ter comprado hehe

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi Rafa!
    Também adorei esse livro e me apaixonei de cara pelo casal, diferentemente do primeiro livro, onde meu amor veio aos poucos.
    P.S. Ri muito no momento Mr.Darcy do Rannulf rsrsrs...
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  5. Heey!
    Eu quero muito ler esse livro, sua resenha despertou em mim algo que me fez amar o livro sem nem mesmo tê-lo lido haha, necessito dele ^^
    Seu blog é fantástico, já estou seguindo!
    Abraços!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa!
    Não é uma série que me desperta interesse, mas gostei dessa "lembrança" de O&P (que é um livro que eu preciso reler justamente porque não lembro dos detalhes).
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oie,
    nossa estou doida para ler este livro, sempre vejo muitos elogios.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  8. sempre vejo resenhas dele, quero ler muito!
    mas é muito livro,você entende <3
    http://unhas-e-livros.blogspot.com/2015/06/resenha-do-livro-veneno.html?showComment=1433874003413#c7914320622728447534

    ResponderExcluir
  9. Oi, Rafa!
    Adoro suas resenhas porque você é sempre bem objetiva e clara nos seus argumentos.
    Quero ler sim essa série. Parece ser boa. Inclusive só tenho lido opiniões positivas a respeito e como adoro um romance de época, é bem provável que eu vá amar.
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Rafa! Eu curti bastante o primeiro livro, a autora sabe criar uma relação que convence o leitor, nunca é algo repentino, o casal passa por uma evolução a cada página e vai nos encantando. Não vejo a hora de ler.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  11. Olaa
    Eu nunca li essa serie, mas desde que comecei a acompanhar os livros da Julia Quinn, me apaixonei por esse estilo literario e adoro essa distribuiçao em que cada livro narra um casal diferente! Fiquei bem curiosa
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Amei o primeiro livro dessa série, estou super ansiosa para ler esse, e ainda mais curiosa pra ler Ligeiramente Escandalosos, a exótica Lady Freyja Bedwyn promete viu.

    ResponderExcluir
  13. Já faz tempoooooo que to querendo muito ler os novos romances de época que vem sendo lançados pela Arqueiro.
    E esse me cativou pela capa e pelas histórias bem tramadas,pelo visto.
    Não li nenhum ainda, mas esse é o que mais me chama a atenção. A Judith parece ter uma vida bem difícil e sofrida, pacata, e acho que esse romance é a chance da luz dela brilhar!!!
    A capa é maravilhosa!!
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Romances de época possuem um jeito único de encantar o leitor, algo que não consigo encontrar em outros livros românticos. A delicadeza que possuem, o modo como suspiramos e torcemos pelos personagens é algo viciante.
    Ainda não comecei essa série, mas tenho muita vontade de conhecer Os Bedwyns e suas histórias de amor.
    Esse livro parece possuir personagens carismáticos que facilmente podem me conquistar, principalmente Judith que é uma personagem determinada que acaba por se fortalecer ainda mais no decorrer da história.
    A capa é belíssima, adoro a delicadeza que possui.
    Espero poder começar a série logo e me encantar por ela.
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Eu acho lindas demais as capas dos livros dessa série.
    Quero muito ler a série Os Bedwyns, acho muito bons livros de romance de época e tenho certeza que adorarei a história dessa série.
    Sua resenha está muito boa.

    ResponderExcluir
  16. Rafa, os romances de época são, de longe, os menos favoritos para mim, na verdade não curto nenhum deles. Mas, a série Os Bedwyns acabou me encantando, pois a escrita da Mary Balough acabou sendo inovadora nos propondo um romance diferente com características originais e as cenas sexys não tão pesadas. Ligeiramente Maliciosos me encantou, assim como Ligeiramente Casados.

    ResponderExcluir
  17. Queria muito ler esses livros e esse parece ser tão doce e bonito. A trama é linda, os personagens são cativantes e acho que é um livro em que você torce por eles até o final. Adoro o gênero e quero muito ler!

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária