Resenha de "Legend" #1

Legend foi minha segunda experiência com distopias e posso afirmar que Marie Lu foi muito feliz ao escrevê-lo. Uma escrita suave e ágil, mesmo em momentos tristes de doer, pleno de adrenalina do início ao fim.
"Finalmente, quando o pôr do sol inunda meu apartamento de tons laranja e dourados, saio do meu transe. Recolho os cacos do vidro quebrado. Visto meu uniforme completo. Certifico-me de que meu cabelo esteja penteado para trás impecavelmente, que meu rosto esteja limpo, calmo e desprovido de emoção. No espelho, pareço a mesma de antes, mas sou uma pessoa diferente internamente. Sou um prodígio que conhece a verdade, e sei muito bem o que vou fazer." (June)
Antes, eram Estados Unidos da América; agora, o território foi dividido entre duas nações, a República e as Colônias, que vivem em constante conflito. A Costa Oeste, que corresponde a República, é a casa de dois jovens que não poderiam ser mais diferentes e semelhantes, ao mesmo tempo, mas que juntos, desencadearão grandes eventos. 

Day tem apenas 15 anos, mas isso não o impediu de ser o criminoso mais procurado do país. Ele nasceu em uma das favelas do setor Lake e é uma espécie de Robin Hood do futuro, o justiceiro das classes oprimidas. Entre uma ou outra aventura com sua amiga Tess, ele ainda faz de tudo para ajudar e proteger sua família, que é o seu bem maior.

Enquanto isso, no rico e próspero setor Rubi, do outro lado de Los Angeles, nasceu June. Com 15 anos, ela já é conhecida como um pródigo militar e está destinada a grandes cargos e feitos. Quando não está aprontando ou tirando excelentes notas na universidade (ela é precoce e terminou antes o colégio), June passa seu precioso tempo com seu irmão mais velho Metias e seu cachorro Ollie.

Entretanto, com a terrível e inesperada morte de Metias, June tem de assumir a posição de agente em treinamento na antiga patrulha de seu irmão e sua primeira missão é encontrar Day, que também é o principal suspeito do assassinato. Ao passo que June se infiltra nos setores pobres para encontrá-lo e se vingar da morte do irmão; Day tenta a todo custo encontrar uma cura para a praga que se alastrou pela cidade e infectou seu irmão mais novo. Com esse encontro, algumas verdades virão à tona, causando grandes reviravoltas tanto nas vidas de Day e June, quanto na própria República.


A história foi dividida em duas partes, a primeira concentra-se mais em Day (O menino que caminha sob a luz) e a segunda, em June (A menina que estilhaça o vidro reluzente). As narrativas intercaladas em primeira pessoa foram fluídas e incríveis, visto que contrapor os pontos de vista foi de extrema importância para o desenvolvimento da trama e dos personagens. Por outro lado, em algumas passagens, também causou um certo desconforto e ansiedade, pois eu sabia qual era a real intenção de ambos, mas o outro personagem não sabia.

Day me conquistou de imediato. Apesar de ser o "criminoso" mais procurado do país, ele é um personagem forte, inteligente, maduro para sua idade, amoroso, altruísta, justo e extremamente lindo. Que ótima combinação, certo? É o típico anti-herói que adoramos e torcemos. Sua relação com a família (a mãe, os dois irmãos e o falecido pai) é tocante e rendeu algumas ou muitas lágrimas, assim como o cuidado que ele tem com a melhor amiga Tess, uma órfã que encontrou nas ruas - outra personagem adorável.

June é uma garota igualmente forte, inteligente e determinada, que ama incondicionalmente seu irmão e o seu cachorro. Porém, o que deve ser salientado é o seu crescimento interior no decorrer da narrativa. Mesmo que ela tenha me decepcionado em alguns momentos (já esperados), no fim, eu gostei dela e de sua capacidade de aceitar e corrigir o que fez de errado. É interessante notar que tanto June, quanto Day crescem significativamente em momentos de dor e tristeza; eles sofrem terrivelmente, mas de certa forma, conseguem emergir de suas cinzas e seguir em frente.

A descrição do ambiente foi minuciosa e panorâmica, é possível imaginar com clareza as casas, edifícios e ruas. Através da narrativa, o leitor pode ter acesso à esse universo futurista em guerra, comandado por militares e repleto de violência gratuita - mortes e pancadas em todo lugar (foi de partir o coração). Quantos aos vilões, eles vão aparecendo gradual e sorrateiramente; além disso, foram bem construídos e causam repúdio. Cabe ressaltar que alguns acontecimentos e personagens foram bem óbvios, o que diminuiu o elemento surpresa.

Felizmente, para complementar, além de toda a adrenalina, vingança, violência e das descobertas impressionantes, há espaço para um romance fofo, que vai se relevando aos poucos. Day e June são muito carinhosos um com o outro, salvo em um ou outro momento, mas no geral, eles se importam. O legal é que ainda não há amor, apenas o princípio de um forte sentimento - assim ficou mais plausível e aceitável, especialmente ao se considerar a situação.

Em suma, não apenas a história que é boa, mas também a capa, a diagramação e o acabamento. As bordas de todas as páginas são sombreadas e cada capítulo tem o nome de quem está narrando; enquanto a capa e a lombada são envernizadas e em alto relevo. Tudo muito bonito e com uma revisão bem feita.
  • Escrito por Marie Lu.
  • Editora Rocco Jovens Leitores.
  • Tradução: Ebréia de Castro Alves.
  • 255 páginas.
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo! :)
*Exemplar para resenha.

11 comentários:

  1. Adorei a resenha, acho que livro vai para listinha para leitura RSRSR
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Estou querendo começar a ler mais distopias, já que a única que eu li foi A Seleção. Legend parece ser um livro muito bom, só vejo comentários positivos sobre ele. Já está na wishlist! Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu amei esse livro. É uma das melhores distopias que li. O foco é realmente a distopia e não um romance infiltrado no meio. Mas ainda não consegui ler os outros. A minha capa é a outra.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi Rafa! Eu ainda não li esta trilogia, mas sempre vejo excelentes comentário sobre ela, fiquei surpresa com o espaço para um romance fofo, eu não lembro de nenhum assim nas que li, sempre é algo mais dramático e complexo, eu confio na sua opinião sobre o gênero, dica anotada.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. oie Rafa
    essa capa é muito mais bonita do que a que eu tenho. Estou louca pra ler, e agora que todos os livros estão lançados, irei comprar pra iniciar.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa, tudo bem?
    Tenho a primeira edição do livro e eu queria tanto ter a edição com essa capa! Acho tão mais bonita!
    A história pra mim não foi TÃO assim, mas eu gostei bastante. Tô querendo ler Prodigy pra ver como vai ser.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  7. Já comprei o meu, mas ainda não li.
    É um dos próximos da minha lista.
    Bom saber que você gostou.
    Só leu duas distopias? Eu já perdi as contas! Amooooo!

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  8. Ótima resenha, tenho curiosidade em ler esse livro, mas falta coragem mesmo hahha

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie!!!!

    Concordo, concordo e concordo!!

    Li tem um tempo, mas adorei!! Essa semana comprei o último e não vejo a hora de descobrir como termina.

    Adorei a resenha!!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Menina, que lindo você também ter gostado de Legend!
    Acho a trilogia tão pouco conhecida... E fico doida com isso, ela é tão boa!
    Ok, só li o primeiro, mas acredito que a autora continue sendo perfeita nos demais livros...hahaha
    Assim como você, também adorei o fato das páginas do livro ter essa bordinha mais escura, achei tão caracteristico!
    E me apaixonei por June e Day, ambos são tão perfeitos juntos... Mas separados também funcionam bem, então o que mais me agrada é isso, os dois se completam, mas não se necessitam, sabe? Além de que o foco nem é no romance. O livro é pura adrenalina!!!hahaha
    Espero ler o segundo e gostar tanto ou mais e que, com você, isso aconteça também!

    Bjs, Yara.
    http://www.ilusoesescritas.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Rafa!

    Até agora, não tenho interesse em ler Legend, mas espero que algum dia, algo me desperte a curiosidade (acho que ainda posso ter um pé atrás com o gênero distópico, rs). Sua resenha chamou minha atenção, ouço muito falar da trilogia, e muita gente é fã, mas por enquanto só li duas das séries mais conhecidas. Gostei do que você ressaltou dos pontos bons do livro, e também do romance entre os protagonistas, que não é uma coisa definida ainda. Espero poder torcer por eles também, se eu for ler! Beijos

    Letícia Valle
    http://litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária