Resenha de "Ossos Sangrentos"

Ossos Sangrentos é o quinto volume da saga de Anita Blake, a caçadora de vampiros, da autora americana Laurell K. Hamilton. Apesar de ser uma série (de vinte e dois romances!), não é necessário ler os livros na ordem de publicação, já que cada um deles narra uma história diferente e independente.
"Havia caixões quebrados, suas metades partidas apontando para o alto, mas tratava-se principalmente de ossos apenas. Eu me ajoelhei e pus as mãos com as palmas voltadas para baixo sobre a terra arruinada. Tentei entender um pouco os mortos. Havia alguma coisa leve e distante, como um bafejo de perfume, mas não era agradável."
Anita Blake, ou sra. Blake para as pessoas com pouca ou nenhuma intimidade, é a melhor caçadora de vampiros e ressuscitadora de mortos dos Estados Unidos. Sendo assim, quando uma empresa precisa que alguém ressuscite um cemitério inteiro para resolver uma questão complicada de disputa territorial em uma cidade do Missouri, seu nome é mencionado e sua agência pede para que ela assuma esta missão de ressuscitar mortos com mais de 200 anos de idade em um terreno repleto de ossadas misturadas.

Ao chegar lá com seu amigo e colega de trabalho, Larry Kirkland, que também é um ressuscitador de zumbis (em treinamento), Anita percebe o quão complicada será sua tarefa de ressuscitar os mortos do terreno, visto que como a terra foi remexida e os ossos separados, seu trabalho seria infinitamente maior. Além da complicação em relação à idade deles, com 200 anos ou mais, ela teria de contar com alguns sacrifícios nada animadores.

Como se isso não bastasse, um amigo policial liga para ela pedindo ajuda em uma série de assassinatos (primeiro, três jovens em pedaços e brutalmente violados; depois, uma garota é encontrada morta e toda ensanguentada em sua própria cama) que ocorreu perto da área onde ela se encontra e Anita se vê, repentinamente, envolvida em uma teia de acontecimentos macabros e de extremo perigo. Incluindo uma luta contra o tempo e o pôr-do-sol para resgatar o irmão da garota assassinada. 

Contra sua vontade e para tentar resolver esse caso, Anita precisará pedir ajuda para o seu pseudo namorado, Jean-Claude, o poderoso e incrivelmente sedutor vampiro Mestre da Cidade. Ao lado de Larry, Jean-Claude e Jason, o lobisomem de "estimação" do vampiro, ela irá enfrentar - com a cara, a coragem e muito sangue - toda sorte de forças malignas e sobrenaturais contidas na região.
"Ele estendeu a mão e eu dei um tapa nela. Ele deu um tapa na minha e eu me senti melhor. Larry tem um jeito de me fazer sorrir. Amigos fazem isso."
Assim que eu terminei a leitura, pensei: "por que eu demorei tanto tempo para conhecer a famosa Anita Blake?". Fiquei encantada com o universo criado por Laurell K. Hamilton, é tão surreal, mas ao mesmo tempo, igualmente parecido com o nosso mundo. Tudo é normal, excetuando o fato de que monstros sobrenaturais existem e mais, há agências especializadas em caçadores de monstros e ressuscitadores de zumbis. Ela fez tudo parecer natural. Incrível!

No início, pensei que ficaria perdida por ser o quinto livro, mas pelo contrário, tudo fluiu com naturalidade, coerência e sem estresse. É claro que alguns dos fatos mencionados aconteceram nos livros anteriores e outros detalhes são uma incógnita, porém, isto não afetou a leitura, apenas aumentou a minha curiosidade e vontade de ler os demais livros.

A história é narrada pela própria Anita e este foi um dos motivos para a narrativa ter algumas passagens deliciosamente cômicas, quebrando a tensão e o constante ar macabro e sombrio. Como narradora e protagonista, Anita cativou com facilidade - suas observações, descrições, sentimentos e sensações são narrados com detalhes, e ela ainda faz algumas breves retomadas, o que facilitou no entendimento de situações que aconteceram nas outras aventuras. 

A Anita é durona, inteligente, teimosa, sutilmente sexy, conhece suas limitações e sempre tenta esconder sua sensibilidade. Às vezes, é até possível esquecer que ela tem apenas vinte e poucos anos, devido a sua maturidade diante situações de grande desespero. Fica bem nítida a sua preocupação com todos ao redor, apesar do jeito nada meigo e dos contínuos palavrões, ademais, sua confusão entre o namorado de fato (um lobisomem chamado Richard) e o pseudo namorado é hilária e instigante. Detesto triângulo amoroso, mas esse me divertiu, especialmente porque ela não fica com os dois ao mesmo tempo.

Gostei muito dos demais personagens. Jean-Claude é o vampiro dos sonhos (isso existe?). À primeira vista, ele parece ser apenas lindo de doer, manipulador, indiferente, frio, extremamente poderoso, maravilhosamente sedutor e com um humor questionável, porém, ao longo da narrativa, vemos que ele tem uma preocupação palpável com relação à todos que importam, especialmente com a Anita, além disso, é possível perceber o quão melancólico e solitário ele é - que precisa de amor, como qualquer outra pessoa... Ops, vampiro do bem (imaginem ele bêbado! Tive uma crise de riso nesta cena). O Larry é amor: ele é fofo, inteligente, altruísta, dedicado e funciona como uma espécie de consciência para a Anita, já que às vezes ela teria feito coisas bem malvadas e impulsivas, mas quase compreensíveis, se não fosse por ele. Já o Jason é um lobisomem todo sensual e engraçadinho, mas fiel até o fim.

Há vilões para dar e vender nesta história. Vilões de diferentes gêneros e importância. Entretanto, cada um deles é de arrepiar. Fiquei embasbacada com a crueldade e o sadismo que eles emanavam e com muito nojo em certas situações (o que eles fizeram com os adolescentes foi de dar pena e muita raiva; e a cena do porão é constrangedoramente nojenta - tadinho do Jason). É interessante ir descobrindo quem são eles aos poucos, então, não citarei nomes.

Em suma, no começo, a narrativa pode dar a impressão de ser desconexa, porém, gradualmente, tudo vai se encaixando. Lembra muito aquele jogo "ligue os pontos", que quando nós finalmente terminamos de ligar cada pontinho, tudo fica claro e uma imagem se forma à nossa frente. Foi exatamente isso que aconteceu com Ossos Sangrentos, perto do fim do livro, quando tudo ficou bem evidente e exposto, eu vi o quão emaranhada e intensa era a narrativa. 

Confesso que o desfecho da história me deixou um pouco aflita, pois apesar de tudo ter sido concluído e resolvido, fiquei com o sentimento de que algo ainda estava inacabado, mas provavelmente é devido ao fato de que é uma série e, assim sendo, há uma continuação. Por fim e com toda franqueza, eu não aconselho nem crianças, nem pessoas mais novas a lerem, devido ao forte apelo sexual e aos palavrões, então, fica a dica.

Essa capa combinou muito com a história, assim como a fonte do título. Encontrei poucos erros de revisão e a diagramação só é um pouquinho diferente, pois não tem aquela divisão padrão de capítulos, eles seguem um atrás do outro, na mesma página, sendo divididos apenas por seu respectivo número. Apesar da quantidade de páginas, a leitura flui com bastante rapidez.

Basta dizer que Ossos Sangrentos entrou para a minha lista de favoritos por envolver tantos assuntos que eu adoro, como: fantasia sobrenatural, história policial, um humor sutilmente sombrio e muito romance. Se vocês também gostam de histórias como essa, não deixem de participar da promoção. Cliquem aqui para saber mais.  
  • Escrito por Laurell K. Hamilton.
  • Editora Rocco.
  • Tradução: Alexandre D'Elia.
  • 430 páginas.
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo! :)
*Exemplar para resenha.

12 comentários:

  1. adorei a resenha . louca p/ ler o livro.

    ResponderExcluir
  2. livro com muito conteudo, vampiros, assassinos, etc, gostei muito

    ResponderExcluir
  3. Nossa, falou em vampiros já me deixou super animada e com vontade de ler.
    Não conhecia essa saga, mais fiquei interessada já que não tem essa necessidade de ler na ordem. Isso já é um ponto positivo.
    Gostei da resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Rafa! Adorei! Eu achei o cenário bizarro, mas imagino que a protagonista tire de letra seu trabalho e nos divirta demais e falou em vampiros estou dentro. Quem bom que dá para ler separadamente, eu vi em promoção e não comprei pois não tenho os outros. Obrigada pela dica.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. oie Rafa
    não conhecia a saga e a autora, mas quem resiste aos vampiros?? eu não rs
    ainda mais quando um livro reúne diversos vilões. Quero pra ontem.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  6. Confesso que nunca ouvi falar desse livro, é a primeira resenha que leio já posso dizer que curti bastante a premissa. Faz o meu estilo sabe? Adorei! <Vampiros3.

    Beijão!
    Carolina Piovesan
    http://baudhistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Pode se dizer que é "minha cara". Eu adoro livros desse tipo, juntamente com os de romance. Mas vampiros me ganham e só com essa resenha, estou eufórica <3

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    nossa não conhecia, mas achei bem interessante.
    Fiquei na dúvida se iria gostar, mas achei a premissa bem legal.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nunca ouvi falar dessa serie, acredita? Mas me interessei e muito em conhecer a Anita. O livro reúne o elementos que gosto de ler. Se tiver a oportunidade lerei com certeza apesar de ser serie e vai que eu me apaixono heheheh.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi, Rafa!
    Nunca ouvi falar nessa série. Mas nossa... QUERO PRA ONTEM!
    Parece ser muito boa. Reúne vários elementos que amo em livros e tua resenha ficou muito instigadora. Necessito!
    E a protagonista parece ser tão legal e sagaz! Adoro.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Rafa!
    Eu adoro Fantasia Urbana e ainda não li nenhum livro dessa série, mas fiquei super interessada, amo essa mistura de seres sobrenaturais interagindo com humanos, e nooooossa, ressuscitar um cemitério inteiro? Que dureza, quero conferir!!!

    P.S. Nesse estilo, indico "Marcada para Morrer" e "A Filha do Apanhador de Demônios", tem resenha dos dois no blog ;)

    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  12. A história é bem intensa então. Se tem tantos vilões assim nela fica difícil pros mocinhos ou mocinhas se destacarem na história, né? A premissa me deixou bastante curiosa e vou experimentar ler. Beijos.

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária